quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Um Rio que não resiste às águas

Bastam 10 ou 15 minutos de chuva para que as ruas da nossa cidade se transformem em verdadeiros rios.

No último final de semana, enquanto ainda chovia, pude verificar pelas ruas as pessoas tentando desobstruir bueiros para que o nível da água pudesse baixar.

Apesar de gostar de ver a população se mobilizando não pude deixar de ficar preocupado, pois estavam em contato com a água da chuva, que pode trazer outras complicações - doenças como a leptospirose.

Contra a força da natureza pouca coisa se pode fazer, contudo, devemos (população e Estado) nos prevenir, para que os problemas não tomem grandes proporções.

A população pode ajudar, não deixando que os bueiros fiquem obstruídos, permitindo assim, que a água possa escoar. Mas não é somente isso! Também não se pode jogar lixo nos rios e em seus afluentes.

Mas aí entra o Estado, que deve colocar à disposição da população serviço de coleta de lixo eficiente, evitando assim que a população dê ao lixo o destino mais fácil (o terreno abandonado ao lado ou rios).

Outra ação de suma importância é o monitoramento das encostas da cidade, para que se trabalhe na prevenção de deslizamentos, como o que ocorreu no túnel Rebouças em 2007. Muitas outros ocorrem por toda a cidade, com ou sem gravidade, mas pessoas perdem suas casas e há casos de mortes.

É sempre bom lembrar a população de como ela pode ajudar, então porque não veiculam comerciais educativos nos diversos meios de comunicação durante o ano a esse respeito e não somente após tragédias?

Outro problema que a chuva traz consigo é a falta de energia elétrica, geralmente causada por quedas de árvores ou descargas elétricas.

O telefone da Light para casos de falta de energia, postes caídos, fios partidos e outros problemas é: 0800 - 02 10 196.

De acordo com um levantamento feito pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o ano de 2008 teve o maior número de mortes causadas por raios na última década. Foram 75 mortes no total.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) alertou que o ano de 2009 será de forte incidência de raios no Rio de Janeiro. Só nestes primeiros dias do ano, segundo o Inpe, caíram 23.017 raios no Rio, 15 vezes mais do que no mesmo período do ano passado.

Dois desses raios atingiram dois jovens, que não suportaram a descarga e faleceram.

Portanto, proteja-se!

Saiba como se proteger dos raios:

- Evitar falar ao celular enquanto estiver recarregando;
- Nunca se proteger debaixo de árvores;
- Evitar a prática de esportes ao ar livre enquanto estiver chovendo;
- Se estiver em área de práticas esportivas aberta, o melhor é se abaixar com os pés juntos e com as mãos sobre a cabeça;
- Abrigar-se durante as tempestades dentro de construções como bares, lojas, shopping, supermercados ou galerias de lojas;
- Não se aproximar de cercas ou redes elétricas;
- Não permanecer em praia ou piscina em caso de chuva;
- Permanecer dentro das edificações - de preferência as que possuam proteção contra descargas atmosféricas;
- Os veículos fechados, trens metálicos fechados, ônibus, metrô, abrigos subterrâneos, túneis, cavernas são locais de proteção contra descargas atmosféricas; e
- O veículo em que se busque abrigo deve estar com o motor desligado e vidros fechados, preferencialmente.


* As precauções descritas aqui não excluem outras que visem a proteção das pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário