terça-feira, 28 de dezembro de 2010

A normalidade do Aborto

O Governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral defendeu o direito indiscriminado ao aborto como meio de conter a violência e afirmou que os que condenam o aborto são hipócritas e indagou aos jornalistas, quem não teve uma namoradinha que teve que abortar.

Tenho vergonha de ter essa pessoa como Governador do meu Estado.

Sim, desculpe a quem pensa diferente, mas infelizmente não respeito sua provável opinião.

Como sempre a classe política, muito mal representada, diga-se de passagem, quer resolver as questões sem antes cuidar para que não exista tal situação.

O aborto é fruto da falta de planejamento familiar; da má assistência médica; da falta de informação, que só acontece antes do carnaval, como se só nessa época as pessoas fizessem sexo!!!

É inadmissível que as pessoas, se é que se pode chamar quem pensa assim de pessoa, acreditem que assassinar inocentes indefesos para não se aborrecerem ou porque acreditam que o orçamento não está adequado ou, porque não é o momento certo, é normal... Pode ser comum nos dias de hoje, muito comum até, mas não é normal!

Quantos homicídios ocorrem no Brasil por ano? Não procurarei estatísticas, mas creio que sejam milhares! Então, para que lei opondo-se ao homicídio? Já que é tão corriqueiro... Que as pessoas saiam matando outras, pois podem aborrecê-las, não é?

O que vemos é um exemplo da degradação do ser humano!

Desculpe-me se quem ler isso pensa errado, mas que Deus tenha piedade de vocês...pensando bem, que não tenha!

Leiam mais em: http://oglobo.globo.com/rio/mat/2007/10/24/326886912.asp


Nenhum comentário:

Postar um comentário