domingo, 20 de março de 2011

Muito mais a escrever para Obama que Niemeyer e os seus

O arquiteto Oscar Niemeyer, presidente de Honra da Rede das Redes em Defesa da Humanidade – Capítulo Brasileiro, foi o primeiro signatário do abaixo-assinado dirigido ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que está no Brasil.

No documento, os decepcionados signatários pedem o cumprimento das promessas de campanha de Obama, como a desativação da Prisão de Guantánamo.

Quando tomou posse, deixei claras minhas reservas, pois acreditei que seria mais um presidente estadunidense e nada mais haveria de diferente além da cor de sua pele e, até o presente momento não tenho me surpreendido, pois não fez nada das extraordinárias coisas que a mídia ajudou a fantasiar.

Mas, o que foi aquele precipitado e, ao meu ver, desmerecido Nobel da Paz??? Sem comentários...

Voltando ao manifesto, o achei um pouco pobre e limitado, uma vez que enfatizou somente a situação cubana. Ademais, já sabemos da declarada afeição e admiração do Niemeyer por aquela cultura e ideais comunistas, mas penso que situações como as guerras no Oriente Médio, ainda mantidas em nome das desastrosas políticas do "combate ao terror" servem na maioria das vezes para encobrir os interesses nas riquezas naturais (principalmente energéticas, como petróleo).
 
Por esse motivo, a Presidenta Dilma não apoiou a operação de guerra na Líbia, pois como diz a nota oficial do governo brasileiro: “Isso não significa nenhuma complacência da nossa parte com situações de violação de direitos humanos. Se não tem critérios muito rigorosos, o direito de proteger pode ser um pretexto para invadir em qualquer país”.

Por isso a África ainda permanece desassistida pelo primeiro mundo e as guerras civis lá travadas e onde milhões morrem, sequer são noticiadas, logo, a quem interessa uma terra onde a população não consome seus produtos tecnológicos e sobretudo que não tem muito combustível para se inventar um motivo bem lucrativo para as indústrias bélicas?

Então, o manifesto podia ser um pouco mais abrangente, mas mesmo assim já é de alguma valia.


Segue abaixo a íntegra:

"Abaixo-assinado do povo brasileiro à Barak Obama

Para: Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama

O presidente Lula foi definitivo: quando nos dirigimos a V. Exa. não parece que falamos com o representante de um poder imperial e sim com um brasileiro como qualquer um de nós. Sua eleição trouxe muita admiração e muita esperança para o povo brasileiro e para toda a América Latina. Contudo, devemos confessar-lhe que nos encontramos profundamente decepcionados.

Acreditamos nas promessas de campanha. Entre elas esperávamos que seu governo trouxesse a paz e a justiça para nossa querida Ilha Cubana, que, como é sabido, apesar do embargo de mais de 50 anos, conseguiu ocupar um lugar de destaque no mundo com avanços significativos na área da biotecnológica, educacional e na área de saúde pública. Apesar da campanha difamatória e da propaganda violenta, Cuba resiste a todas as agressões e intempéries com dignidade. Desnecessário citar a V. Exa. todos os desmandos contra Cuba, sob as mais mentirosas alegações. Assim foi a Baia de Porcos; assim foi a promessa de desativar Guantánamo; assim é a prisão dos Cinco Cubanos em prisões estadunidenses, com julgamentos sem nenhum critério ético e justiça; assim foi assinado, há mais de 50 anos, um embargo econômico, cruel e desumano.

Assim tem sido contra Honduras, Venezuela, Bolívia, África, sem citar o apoio e o trabalho das agências de inteligência contra os países sul-americanos nas décadas de 60 e 70 do século passado.

São incontáveis essas agressões. O senhor chegou como esperança de crescimento do homem em todas as esferas. Veio de uma classe média diferenciada; traz nas veias a herança de seus antepassados, os mesmos que construíram a economia de seu País.

Sabemos de seus interesses na grandiosidade do Brasil, que transcende o imaginável: Pré-sal, riquezas inesgotáveis de energia, biodiversidade, mão de obra barata, são apenas alguns exemplos.

Senhor Presidente Barack Obama, nosso contencioso é grande; mas, nosso carinho pelo povo norte-americano transcende as desavenças.

Queremos aproveitar esta ocasião para uma reflexão necessária: a generosidade, a solidariedade, o respeito à soberania de cada país e, principalmente, centrar nossas potencialidades para transformar o caos em que vivemos num mundo melhor.

Acabe com o embargo a Cuba e liberte os Cinco Herois Cubanos, em nome da real integração entre os povos.

Rede das Redes em Defesa da Humanidade – Capítulo Brasileiro

Oscar Niemeyer – Presidente de Honra

Marília Guimarães – Presidente do Capitulo Brasil
"

Nenhum comentário:

Postar um comentário