quarta-feira, 20 de abril de 2011

Psiquiatra entrevistado por Jô Soares é denunciado pelo MPF por treinar promotora para fraudar teste de sanidade mental

Hoje (20 de abril) irá ao ar no Programa do Jô, entrevista com o psiquiatra Luis Altenfelder Silva Filho que está lançando o livro Doença mental, um tratamento possível, pela Editora Ágora.

O Ministério Público Federal  denunciou o "respeitado" médico pela prática dos crimes de formação de quadrilha, fraude processual e falsidade ideológica por ter treinado a promotora Deborah Guerner a simular desequilíbrio mental em um teste de sanidade mental.


O Dr. Altenfelder foi pêgo graças a gravações do circuito interno da residência da promotora. Nas cenas ele aparece treinando-a para responder à junta médica para que saísse do IML com diagnóstico de transtorno bipolar múltiplo.

O psiquiatra recebeu R$ 10 mil parcelados em 2 vezes.

Relembrando, o programa do Jô com a entrevista irá ao ar hoje, não percam para gravar bem o sujeito.

Em tempo: alguém interessado no livro?

segunda-feira, 18 de abril de 2011

É legal? Discutível. E imoral? Totalmente!!!

E mais uma vez nossos nobres representantes se auto-remuneram!

A Câmara de Vereadores da Cidade do Rio de Janeiro aprovou aumento dos salários dos Vereadores, de R$ 9 mil para cerca de R$ 15 mil! Nada menos que 63%, enquanto os demais trabalhadores...enfim, vocês já sabem!

O aumento está previsto em Lei, com o percentual de 75% do salário de um Deputado Estadual, seguindo o efeito cascata do Legislativo federal.

Contudo, os salários foram aumentados durante a legislatura, o que é vedado pela lei que regulamenta os salários dos Deputados Federais, pois só é autorizado fazê-lo para a próxima legislatura, no caso, para 2013.

Mas convenhamos, a legalidade é até discutível, mas e a moralidade?

Calma, um grupo de vereadores resolveu não aceitar o aumento e devolver os valores! Inacreditável! Mas para a maioria esmagadora o aumento é mais que bem-vindo.

Confira recorte do Jornal Extra dessa segunda (18/04):
(Clique na imagem para melhor visualização)


Numa casa legislativa onde verdadeiros bandidos (alguns estão legislando de dentro de presídios) que representam o povo carioca, com baixíssimo nível de aproveitamento, pois apresentam  quase que na totalidade, Projetos de Lei irrelevantes, a maioria "Dia disso ou Dia daquilo", ou presta homenagens (apadrinhadas) pelos ilustres agraciados em troca de favores, tal aumento é um absurdo sem igual! (Correção, tem muito disso por aí)

Mas tenho lá minhas dúvidas se a população carioca, fluminense ou brasileira está cansada disso. Pois os milicianos continuam sendo eleitos, juntamente com seus filhos, sobrinhos, fora os que se utilizam somente da fama, como radialistas, jogadores de futebol aposentados, palhaços, apresentadores de TV...

A verdade é que quem representa o povo carioca é no mínimo incompetente, ladrão ou assassino então infelizmente não sei mesmo o que se passa na cabeça da maioria da população do Rio de Janeiro.

A Lei Seca não perdoa ninguém

No último final de semana o Senador Aécio Neves (PSDB/MG) foi parado pela Blitz da Operação Lei Seca no Rio de Janeiro e, por estar com sua Habilitação vencida, teve que entregá-la aos policiais.

Recusou-se a fazer o teste do bafômetro, uma vez que como já teve a carteira apreendida, não havia motivo para tal e por isso pagará multa de mais de 900 reais, o que, convenhamos, nada representa para um nobre Senador da República.

Ao menos não teve postura arrogante, como algumas autoridades cariocas como Desembargadores, Procuradores já o fizeram.

Mas é bom já ir sabendo, que ex-presidentes, atual e até futuros, devem antes de tudo respeitar a lei. E a Lei Seca aqui no Rio de Janeiro, não perdoa ninguém!


Leiam a nota oficial da assessoria do senador:

"A assessoria de imprensa do senador Aécio Neves informa que:

Na noite deste sábado para domingo (17-04-11), o senador Aécio Neves jantou nas redondezas de seu apartamento no Rio de Janeiro.

Ao retornar à sua residência, foi abordado durante blitz policial quando foi constatado o vencimento da validade do seu documento de habilitação como motorista.

Em respeito à legislação vigente, o senador entregou a habilitação ao agente e, seguindo as orientações recebidas, providenciou um condutor habilitado - um taxista que se encontrava no local - que dirigiu seu veículo até sua residência a poucos quarteirões.

Com relação às notícias veiculadas sobre o uso ou não do bafômetro, essa assessoria informa que, uma vez constatado o vencimento do documento de habilitação e providenciado outro motorista para condução do veículo, o mesmo não foi realizado.

O senador cumprimentou a equipe policial responsável pelo profissionalismo e correção na abordagem feita aos motoristas durante a blitz."