segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Nova CPMF, Velha Saúde?

Preparem os bolsos!!!

Quinze governadores assinaram nota por nova fonte de financiamento, no momento em que está em pauta para ser votada na Câmara emenda que fixa gastos mínimos para a saúde.

A presidente Dilma já avisou para que indiquem a fonte dos recursos para o financiamento desses gastos mínimos, o que foi uma "direta" para a criação de novo imposto.

Diante disso nova batalha no Congresso será travada.

Óbvio que todos sabemos quem sai perdendo, pois, se for aprovado novo imposto (ou contribuição, por assim dizer) sua arrecadação não será investida na saúde, ocorrendo o mesmo que com a CPMF, onde o valor investido era de 1% do arrecadado.

Caso não seja aprovada a criação, o governo terá uma ótima desculpa para o caos que aí está, condenando milhares à morte todos os dias.


Um comentário:

  1. O anúncio da recriação recebeu fortes críticas do presidente da OAB-Ophir Cavalcante,alegando que a carga tributária já é extremamente excessiva: "Jogar novamente no colo da sociedade a responsabilidade pela saúde, enquanto a máquina pública só aumenta seu gigantismo, é preocupante. A OAB vê com extrema preocupação essa proposta que está sendo introduzida na pauta política do país e do presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf: "A nossa posição é conhecida, somos contrários à criação e/ou aumento de qualquer imposto. A sociedade brasileira não aceita elevação da carga tributária. Ao contrário, quer a sua redução e o constante aumento de qualidade nos serviços públicos.". Em diveros sites de notícias, relacionamentos e blogs, a reação foi de repúdio, principalmente a decisão foi feita depois das eleições.

    ResponderExcluir