terça-feira, 29 de outubro de 2013

A triste e inaceitável realidade da educação no Rio de Janeiro e no Brasil

O professor, absurdamente, é o profissional menos valorizado do Brasil.

Houve a greve e o que conseguiram, além de muita violência policial? Trabalhar sábados, domingos e nas férias.

"Parabéns" à Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, à Prefeitura do Rio de Janeiro; ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e um "obrigado" maior ainda à Mídia (principalmente à rede Globo) por contribuírem para que essa classe seja ainda mais desrespeitada.

Que o povo um dia acorde, pois seu filhos são aprovados automaticamente, mas ninguém fala disso.

Todos os acima citados desejam cidadãos de 2ª e 3ª categorias, para que tudo continue como está.

- Nota: Para quem não sabe, a prefeitura do Rio de Janeiro ao citar o plano de cargos e salários enviado à Câmara e que foi aprovado pelos Vereadores, somente falou do aumento salarial tratando do salário do professor de 40h e que tem Doutorado em fim de carreira, ou seja, prestes a se aposentar (este sim com salário considerável).

A mídia, principalmente a rede Globo, ecoou essa informação.

Ocorre que somente 15% dos professores Municipais são 40h. E desses, não sei se chega a 1% o número de professores que possuem Doutorado!!!

Este que vos escreve não conhece pessoalmente alguém que tenha Doutorado. E vocês?

Isso lhes dá uma noção da covardia para com os professores Municipais. Por parte de todos os citados, mas também por parte da população, que não lhes deu o apoio devido.

Assistam ao vídeo da Professora e agora Vereadora mais votada da história de Natal/RN Amanda Gurgel que define bem a realidade da educação brasileira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário